segunda-feira, 30 de março de 2015

EXPECTATIVA DOCENTE À PROPOSTA INDECENTE

Foto: Daniel Filho
"Sr. Governador, o jogo mal começou e o senhor já pisou na bola"

A quebra da promessa e compromisso do governador Paulo Câmara de dobrar o salário dos professores, propor um piso de R$4.000,00 a professores de escola de referência e o desrespeito à lei do piso com a “oferta” vergonhosa de R$16 reais de reajuste aos professores da rede estadual de ensino geraram a maior paralisação de docentes da rede desde o início do governo PSB. Cerca de 90% da categoria aderiu à paralisação proposta e aceita em Assembeia nos dias 25 e 26.
Foto: Daniel Filho
Dia 27 aconteceu no Teatro Boa Vista outra assembleia para avaliar o resultado do ato, aprovar os eixos da campanha salarial 2015 e definir rumos.
O teatro ficou lotado e contou com o apoio também de estudantes de diversas escolas da rede metropolitana que deram total apoio à luta dos professores. Uma nova mesa de negociação ficou marcada para hoje (30) e a análise das propostas será apresentada na assembleia de amanhã (31), proposta e idealizada para acontecer nas ruas, frente à Assembleia.

CAMPANHA SALARIAL EDUCACIONAL 2015

Foto: Daniel Filho
Reunião em Petrolândia na Câmara de Vereadores.
Insatisfação geral
Os professores da rede estadual do município de Petrolândia se reuniram para redigir as próprias reivindicações locais. Entregues a mim, Daniel Filho, coordenador regional de relações municipais, elas serviram de base norteadora para uma participação mais ativa nas discussões em Recife, mas também para pedir reunião entre a regional e a GRE.
A maioria dos itens cobrados por professores da EREM Maria Cavalcanti Nunes já estavam inclusas no documento oficial que foi votado com o acréscimo de um item: a climatização de todas as salas a rede de ensino. Proposta por mim, Daniel Filho, aprovada e inclusa no EIXO I referente à valorização profissional no item referente a Condições de Trabalho, a medida se faz urgente e foi lembrada em diversos cartazes de estudantes que participaram do ato.

CAMPANHA SALARIAL 2015

Abaixo alguns dos principais pontos que serão cobrados e negociados durante todo o ano entre Sindicato e governo:

Ø  Aplicar os percentuais de reajuste às gratificações de todos os trabalhadores em educação lotados nas Escolas do Programa Integral, retirando, assim, do teto salarial de R$2.032,00 que congelou os ganhos reais dos professores com dedicação exclusiva;
Ø  Garantir que as gratificações sejam incorporadas na aposentadoria;
Ø  Substituição do Bônus por Desempenho Escolar (BDE) pelo SALÁRIO EDUCADOR a contemplar todos os professores da rede no mês de Outubro;
Ø  Atualizar as grades de vencimento dos Funcionários Administrativos para contemplar os concluintes do PROFUNCIONÁRIO;
Ø  Climatização de todas as salas da rede estadual;
Ø  Contemplar toda a categoria e estudantes com o Bônus para Bienal do Livro;
Ø  Acrescentar o VALE-CULTURA a todos os profissionais da educação;
Ø  Liberar Licença-prêmio dos professores das Escolas de período Integral;
Ø  Corrigir o valor de locomoção e difícil acesso;
Ø  Reajuste e aplicação a todos os trabalhadores em Educação o Vale Alimentação;
Ø  Vale transporte em pecúnia para os trabalhadores que não possuem transporte público regulamentado na cidade em que trabalham;
Ø  Realização imediata de concurso público;
Ø  Denunciar ao Ministério Público o descumprimento de GRE’s e gestores escolares no que se refere à organização da hora aula atividade. Lei Estadual n°11.329 de 1996. Em Petrolândia ouvi relatos de diversos professores que perceberam estar trabalhando a mais do que trabalhavam antes, sem diminuição da aula em sala.
Ø  Permitir o gozo de todas as licenças prêmio sem interrupção para o trabalhador que já possui tempo de aposentadoria, assim como atender todas as demandas solicitadas com um mínimo de 90 dias de antecedência ao período do gozo. Aos professores lotados em Escolas de período Integral, o direito do gozo sem prejuízo financeiro;
Ø  Viabilizar o impedimento de cobrança da anuidade, pelo Conselho de Educação Física, aos professores em suas atividades na Rede Estadual de Ensino.

Foto: Daniel Filho
Foram destacados apenas os pontos mais relevantes à categoria de nosso município, Petrolândia, que serão negociados durante todo o ano (a lista na íntegra pode ser conferida em breve no site do SINTEPE, link ao fim da matéria), no entanto, para definir se haverá ou não greve, o sindicato cobra do governo o reajuste do piso de R$13,01% a TODA A CATEGORIA, respeitando as grades de vencimento e apresentação de uma planilha governamental comprovando a viabilidade do compromisso assumido em campanha de dobrar o salário dos professores até 2017.
O Ministério Público reconhece a cobrança dos professores e abriu investigação para saber por que o governo do estado se nega a pagar o reajuste a toda categoria.
Amanhã teremos mais novidades, mas por enquanto, fiquem com O SHOW DO PAULO:

video


Foto: Daniel Filho

Foto: Daniel Filho

Foto: Daniel Filho




Um comentário:

  1. Excelente. Temos que cobrar mesmo, tanto alunos quanto professores. Até mesmo quem não está na escola, porque a sociedade no geral reflete o que a situação da educação.

    ResponderExcluir