quarta-feira, 10 de junho de 2015

ENSINO RELIGIOSO PARA QUEM PRECISA... QUEM PRECISA?

A CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) lançou um documento norteador de como se deve ser aplicado o ensino religioso nas escolas brasileiras sem ferir o estado laico (o documento na íntegra segue em anexo ao fim dessa postagem).
Mesmo com a “facultatividade” posta em lei, é possível crer num perfil docente dessa disciplina que respeite o estado laico, todas as manifestações religiosas-culturais sem privilegiar nenhum, não faça proselitismo e fortaleça a tolerância entre todas as formas de percepção do mundo, inclusive as ateístas e agnósticas? Sim. Mas deveríamos propor uma sabatina ao candidato.
Não necessitaria um questionário tão amplo.
Aos que sabatinassem caberia observar como o candidato reagiria (caras, bocas, palavras) diante as situações apresentadas.
Primeiro, a “crucificação” da transexual Viviany Belebony na última parada LGBT em São Paulo. Se questionaria:
O que você sente ao ver essa cena?


 Após ouvir a resposta, é apresentada a justificativa:

 O candidato compreende a lógica e a aceita?
Em seguida um confronto entre outras imagens onde a simbologia de Jesus crucificado foi utilizada em diversos outros contextos aceitos naturalmente pela sociedade consumista.
A primeira do jogador Neymar:


 E na sequência diversas outras vezes em que fora utilizada:


Deve se questionar, então:
Por que as demais imagens não ferem a crença do próximo? Se ferem, por que não geraram a mesma repercussão da simbologia da transexual?
Vamos a uma segunda etapa. Jornal satírico Charlie Hebdo. Deverá observar as charges a seguir:


Se achar engraçado, é apresentada a charge do mesmo jornal na sequência (a sequência pode ser variável):

 E então? O candidato a professor de ensino religioso mostrou mais indignação a uma do que a outra? Se a resposta for POSITIVA, a avaliação desse candidato deverá ser NEGATIVA.
Vamos ao outra fase da sabatina. De que forma o candidato contextualizaria em sala de aula, para crianças e adolescentes, as seguintes notícias?

EVANGÉLICOS QUEBRAM E URINAM EM IMAGEM DE SANTA; PASTOR NEGA PARTICIPAÇÃO, MAS APÓIA FIÉIS:

UNIVERSITÁRIO QUEIMA BÍBLIA EM ENCONTRO DE ATEUS NA UFAC E GERA PROTESTOS:

MARCO FELICIANO ATACA CATÓLICOS: “IGREJA MORTA E FAJUTA”:

RIO DE JANEIRO LIDERA EM CASOS DE DISCRIMINAÇÃO RELIGIOSA

E então, ele mostra mais indignação a uma notícia do que a outra? Qual foi a motivação?
Ficando clara a tendência para algum lado que não seja o de evitar a proliferação de mais uma horda incapaz de interpretar e aplicar algumas das que deveriam ser as maiores normas de conduta da sociedade: amar(respeitar) o próximo como a si mesmo, não julgar para não ser julgado, pregar a caridade com atitudes sociais de confrontação a um sistema que exclui e não distribui riquezas, a reprovação deveria ser imediata.
Mas surge a tristeza de uma pátria que se diz educadora, não estar educada.
Parte de nossos líderes religiosos não compreende que, mais importante que formar ovelhas e escravos, é preciso formar pastores e senhores do saber para uma cultura de paz, enfim, começar a engatinhar para sua efetivação.
Temos vagas e professores aptos suficientes, no ensino fundamental, para educar os falsos profetas da pátria demagoga? Pelas exibições em massa de ódio seletivo, está claro que não.

Abaixo documento da CNTE acerca do ensino religioso nas escolas públicas.