quinta-feira, 6 de agosto de 2015

CUIDAR É PRECISO


O Blog Gota d’água publicou denúncia do senhor José Maurício, presidente do STR (Sindicato dos Trabalhadores Rurais) acerca do descarte ilegal de resíduos no Riacho Barreiras. De lixo comum, construção civil, há descarte também de embalagens de agrotóxicos que contaminam o solo e nosso lago.

Foto: Natan Caetano

Após publicação não fomos informados de providências tomadas pelo poder público local, então a ARBIO, através de Niedja Batista, entrou em contato com o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (INPEV), entidade sem fins lucrativos voltada a promover a correta destinação de embalagens vazias de defensivos agrícolas.
A INPEV informa ao Blog que esse semestre está fazendo a coleta em cidades próximas e que Petrolândia está no roteiro, mas há problemas. A logística da entidade não permite esse trabalho de coleta mais que uma vez por ano o que acaba por não atender a demanda.

SOLUÇÕES CONJUNTAS

Como previsto na Lei de Resíduos Sólidos é preciso uma divisão de responsabilidades: educação ambiental para conscientização dos produtores rurais quanto ao uso indiscriminado de agrotóxicos é o primeiro ponto, mas com resultados a longo prazo.
A curto e médio é preciso identificar, como previsto em lei, o comerciante e comprador para a facilitação desse tipo de coleta. A sugestão é que se construa, em parceria com o agricultor, o vendedor de agrotóxico, a prefeitura e demais entidades relacionadas a área,  um galpão com a finalidade de armazenar essas embalagens até a coleta anual ou se garanta um meio de devolver periodicamente, com apoio do poder público e privado, essas embalagens ao comércio.
É preciso unir forças entre sindicatos, prefeituras das cidades vizinhas, ong’s e sociedade civil para todo o processo de conscientização ambiental, iniciando com um encontro de toda a sociedade onde se exponha o problema que esta ocorrendo e se assumam os devidos compromissos por todos envolvidos no processo.

Para conhecer a INPEV, acesse: