quinta-feira, 19 de novembro de 2015

REVOLUÇÃO POLÍTICA E CULTURAL NO MOXOTÓ

ESCOLA DE DANÇA

Escola de Dança Elisabeth Freire

Elisabete já foi
Mas deixou uma semente
Que aqui é preservada
Com a força da nossa gente
E nesta Escola de dança
Que o jovem e a criança
Vê o mundo diferente

Quando Elisabeth Freire faleceu em 2012 todos pensaram que o seu Grupo de Danças Folclóricas iria acabar. Uma história de mais de 25 anos de trajetória, que colecionara passagens por festivais internacionais de Danças em Passo Fundo – RS, Farroupilha- RS, Olimpia –SP, Teresina –PI e Curitba-PR , (nesta ai apresentando-se na famosa Ópera de Arame). Estaria sendo sepultada? A resposta veio com o tempo, pois em 2013 foi criada a Escola de Dança Elisabete Freire, que hoje conta com trinta alunos, com o objetivo de preservar e difundir o legado de Elisabete e o seu Grupo de Dança. As atividades foram retomadas e foi convidado o coreógrafo Léo para assumir a função de Diretor- Professor.  Os alunos têm aulas teóricas e práticas de Danças folclóricas como frevo, coco de roda, ciranda, maracatu, caboclinho, folia de reis, folguedo junino e samba. Parte dos alunos, aqueles que evoluem mais formam o elenco do Grupo de Danças folclóricas Elisabete Freire, que assim teve sequência em sua história.
O Grupo da Escola de Dança vem fazendo bastante sucesso em diversas cidades da região, inclusive em estados vizinhos como Paraíba e Rio Grande do Norte, tendo apresentando-se em Festivais de Passa e Fica- RN e São Gonçalo- RN. Aonde vai, o grupo segue a missão de dona Elisabete Freire, que além de ensinar danças aos meninos das comunidades carentes de Sertânia, abrindo perspectivas de vida para eles através da arte, levava a bandeira sertaniense, divulgando lá fora uma imagem positiva de nossa terra, como cidade de cultura, de alegria e de encanto.

ESCOLA DE TEATRO

Escola de Teatro Liu Pinheiro

Dona Liu Pinheiro foi
flor da fina caridade
também a inteligência
toda sensiblidade
sendo uma grande chama
 e mais a primeira dama
do Teatro da cidade

O Teatro é uma arte em que conhecermos os sentimentos humanos e os vários tipos de personalidades. Através dele também podemos exercitar a capacidade de expressão corporal, de reeducação da voz e da respiração, além de contribuir para superação da timidez e desenvolvimento da oralidade. Consciente disto foi criada em 2013 a Escola Municipal de Teatro, que através inicialmente do diretor teatral Flávio Magalhães e atualmente por meio do Teatrólogo Wilton Augusto, desenvolve um curso de iniciação teatral formando alunos dentro das noções básicas de Artes Cênicas. Além da Encenação em 2013 do Auto do Sertão, Espetáculo de Natal, os atores participam também da Paixão do Sertão e montam um recital-performático sobre Sertânia, encenado na Semana Estudantil de Artes, durante aniversário da cidade. No dia internacional do Teatro foi realizado um seminário sobre a história de teatro sertaniense. Também na Escola Municipal de Teatro surgiu o embrião para o Espetáculo Musical “Cantigas de Sertão para voar”.
Liu Pinheiro, que dá nome a escola, foi atriz e mentora do Grêmio Teatral Arthur Azevedo, precursor do Teatro em Sertânia, nos anos 1940, poetisa e compositora, sendo avô do cantor e compositor André Pinheiro.


Os Versos que ilustram esta reportagem são de autoria do Poeta Josessandro Andrade.

Na próxima matéria a Escola de Música Demétrio Dias Araújo, Escola de violão e bateria.