sábado, 7 de maio de 2016

ATOS PELA EDUCAÇÃO E DEMOCRACIA

Fotos: Daniel Filho

Dois grandes atos pela educação e em defesa da democracia aconteceram ontem (6) em Recife. O primeiro foi uma grande passeata pela zona Sul do Recife o segundo assembleia da categoria no acampamento permanente pela democracia, na praça do Derby. 

PASSEATA

Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

A mobilização, organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (SINTEPE), teve o objetivo de pressionar o governo a conceder o reajuste salarial de 11,36% para a categoria, cumprindo o piso nacional. A concentração começou por volta das 9h, em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário, na Herculano Bandeira. Os professores saíram do local às 11h e seguiram pela via em direção ao prédio da Secretaria de Administração do estado, na Avenida Antônio de Góes, onde aguardaram uma reunião com representantes do poder público.
Mais de 600 pessoas participaram da marcha que contou com apoio do Movimento dos Sem Terra (MST), União dos Estudantes Secundaristas de Pernambuco (UESPE), Levante Popular da Juventude, entre outros movimentos de cultura e agremiações.
Cirandas, afoxé, repentes, entoaram o grito da categoria em resposta ao silêncio do governo do estado em relação ao reajuste do piso salarial.
Com pouco tempo de concentração frente ao prédio da secretaria uma comissão de negociação foi convocada. O governo marcou a primeira mesa de negociação com a categoria para a próxima terça (10).

ASSEMBLEIA

A assembleia da categoria aconteceu a partir das 15H no acampamento permanente pela democracia, na praça do Derby. Os professores presentes deliberaram:
Rejeitar negociação caso o secretário de Administração Milton Coelho não esteja nessa mesa de negociação. A categoria reafirmou que não negociará sem a presença dos dois secretários (administração e educação);

Aderir à paralisação nacional em defesa da democracia, contra o golpe e fortalecimento das reivindicações da categoria na próxima terça (10);

O terceiro encaminhamento levou a categoria a fechar a Avenida Agamenon Magalhães durante 11 minutos e 36 segundos, referentes aos 11,36% de reajuste dos servidores, de acordo com a Lei do Piso Salarial, que não está sendo cumprida pelo governo do Estado. Uma grande ciranda encerrou os dois belos atos.

“Essa ciranda não é do governo, não.
É da Educação, é da educação...”

Abaixo mais imagens e vídeos dos atos:








video

video

Nenhum comentário:

Postar um comentário