quarta-feira, 19 de outubro de 2016

SEMINÁRIO DISCUTE AGRICULTURA FAMILIAR


A Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag) está reunida, desde ontem (17), com dirigentes sindicais, coordenações regionais e assessoria das Federações dos Trabalhadores na Agricultura (Fetags) do Nordeste, além de representantes de entidades parceiras, consultorias convidadas pela Confederação e suas Regionais durante Seminário sobre o Plano Regional de Desenvolvimento da Agricultura Familiar, na Colônia de Férias do Sesi, no município de Tamandaré. 
A atividade, que também será realizada na região Norte, pretende abrir diálogo sobre as principais ações para programas e políticas públicas dos governos federal, estaduais e municipais, além de se configurar espaço em que serão levantadas ações para o Movimento Sindical Rural e entidades parceiras, tendo como público prioritário agricultores/as familiares, e, por espaço de ação, a estratégia da Territorialidade.
Para a Fetape, o Movimento Sindical Rural precisa buscar alternativas saudáveis para o desenvolvimento da agricultura familiar a longo prazo.  “Trouxemos o evento para uma região que achamos ser estratégica, que é a Zona da Mata Sul, por sua particularidade, sendo uma área de monocultura da cana-de-açúcar, onde  há experiências de agricultura familiar. Isso só fortalece a ação. Mesmo com um cenário político de indefinições e inseguranças, precisamos pensar,  olhando para frente, como o nosso público estará acessando essas  políticas públicas”, afirma o diretor de Política Agrícola da Federação, Adimilson Nunis.
Também participam do Seminário assentados(as) da reforma agrária,  agricultores(as) familiares, quilombolas, representantes da Rede Sisater, do Instituto Manoel Santos, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária-Embrapa (Semiárido, Caprinos e Ovinos, Tabuleiros Costeiros) e da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). 
“Esperamos que de fato, a gente realize na prática um Desenvolvimento da Agricultura familiar. Aqui tem sido um espaço de troca experiências com outros agricultores e agricultoras, onde buscamos desenvolver as tecnologias com a EMBRAPA, com os movimentos sociais, com as autoridades de modo geral. Então, eu espero que nos cinco dias de trabalho, possamos sair um pouco realizados, com soluções concretas para as nossas famílias terem o que produzir, comercializar e comer, tendo produtos de qualidade, conscientes da necessidade de redução do uso de fogo e de agrotóxicos nas lavouras, pois, só assim, alcançaremos um desenvolvimento com sustentabilidade”, pontua o agricultor familiar do Assentamento Amarají, em Rio Formoso, José Francisco da Silva.
Durante a ação, os/as participantes irão levantar informações sobre os potenciais e as principais demandas da Agricultura Familiar em níveis organizacional, econômico, social, ambiental, em Pernambuco, que irão se somar e subsidiar os estudos de especialistas de Universidades e órgãos atuantes nas temáticas sobre Desenvolvimento Regional e Agricultura Familiar. O Termo de Cooperação entre a Contag e a Embrapa será um dos pontos discutidos no evento. A expectativa é que o debate seja ampliado também nas Regionais Sul, Sudeste e Centro-Oeste.