quinta-feira, 30 de março de 2017

PREFEITO RICARDO RODOLFO FAZ BALANÇO DE SEU PRIMEIRO TRIMESTRE E LANÇA O PROJETO GOVERNO INTINERANTE

Imagens: Daniel Filho


Ontem (29), na reunião ordinária da câmara de vereadores, o prefeito Ricardo Rodolfo pediu a fala para fazer um breve balanço de seu início de governo e lançar o programa “Governo Itinerante”. Lembrando em seu discurso o programa de gestão criado pelo PT chamado orçamento participativo, proposto em campanha pela então candidata a prefeita, Adriana Gomes, foi assumido pelo prefeito como modelo a ser adotado. Reconheceu ainda que a câmara de vereadores, sob a presidência de Fabiano Marques, realizou o “Câmara Itinerante” e convidou a todos os vereadores, mídia e sociedade a participar:

“É preciso reconhecer a importância desse modelo de gerir que foi criado pelo PT que nada mais é do que a ‘gestão participativa’. Ouvir as demandas da comunidade e, junto a ela, definir como e onde investir o recurso disponível. Vamos iniciar pelo Umbuzeirão...”. Declarou Ricardo. “As indicações dos vereadores continuam válidas e tenho todas em meu gabinete, esse programa vem a somar. Vamos fazer um roteiro mais claro de onde estão essas problemáticas e agir diretamente lá.”

Ricardo deixou claro que não está prefeito para agradar grupos políticos, mas para melhor servir ao povo, independente de quem votou nele. Viu ser aprovado o reajuste do piso salarial dos professores, aprovado em assembleia do SINPRO e apresentado pelo vereador Evaldo Nascimento. Além do reajuste os profissionais em educação contarão ainda com um acréscimo financeiro relacionado ao rateio de recursos do FUNDEB.
Ao falar sobre contratos e concurso público citou a Lei de Responsabilidade Fiscal. Segundo o prefeito, que foi diversas vezes questionado pelo vereador Jorge Lino Viana sobre o controle municipal acerca do tema, esse primeiro trimestre pode atingir o limite, mas não tem certeza se será mantido, pois o município perdeu em arrecadação.
Garantiu que em Abril inicia o processo licitatório da iluminação pública e que deseja, até Abril, ter sanado o problema de todo o município.
Ao questionar a plenária sobre o tempo que a cidade sofre com o problema, o militante do MLST e presidente do PSOL em Petrolândia, Rômulo Soares, pediu a fala:

“Petrolândia sofre com esse problema não há meses, mas há anos, desde que a responsabilidade da iluminação pública passou a ser da prefeitura (...) pagamos um absurdo de taxa de iluminação pública sem ter tido o serviço. Cheguei até a pensar que, ao fim da gestão de Lourival Simões, teríamos a cidade toda iluminada em ‘neon’... Ou seja, Petrolândia tem, sim, fundos para resolver esse problema.”

Ricardo encerrou sua fala com mensagem de positividade e o lema “Tudo Vai Dar Certo”