quinta-feira, 6 de abril de 2017

NOTA DE REPÚDIO QUILOMBOLA, DE PETROLÂNDIA, CONTRA JAIR BOLSONARO

Imagem: Divulgação

A comunidade Quilombola Borda do Lago Negros de Betinho, em Petrolândia, lança nota de repúdio à fala racista do deputado Jair Messias Bolsonaro proferida em palestra na Hebraica no Rio de Janeiro. O pré-candidato à presidência da república afirmou que negros das comunidades Quilombolas chegavam a “pesar sete arrobas”, de tão preguiçosos e que não serviriam nem pra procriar.  Entre outros discursos de ordem racista e fascista, prometeu que em um possível governo seu acabaria com todas as reservas indígenas e quilombolas do país.
A seguir a nota de repúdio na íntegra:

Nota de repúdio da comunidade Quilombola Borda do Lago Negros de Betinho, situada na agrovila 4 d a reta, contra o dep. Federal Jair Bolsonaro

A comunidade Quilombola Borda do Lago Negros de Betinho, vem expor publicamente sua indignação contra qualquer tipo de preconceito ou difamação contra nosso povo quilombola.
Quem faz apologia ao estupro e à violência com declarações criminosas e estimula o genocídio, o etnocídio e elogia aqueles que torturaram e mataram durante a ditadura militar, só pode receber do povo quilombola, brasileiros e do mundo o desprezo e o pedido para justiça o punir conforme a lei 7.716 de 5 de janeiro de 1989 que prevê ato de racismo como crime inafiançável e imprescritível. Bolsonaro é uma doença. Dizer que os quilombolas não servem nem pra procriar é uma vergonha. Resistimos aos navios negreiros, à escravidão e hoje somos cerca de 6 mil comunidades quilombola em todo território nacional.
Nós quilombolas não devemos nada a Bolsonaro, são seus descendentes que nos devem. Resistiremos sim e não vamos nos calar. Bolsonaro é racista e racismo é crime.

Att
Coordenação Quilombola da Borda do Lago


SAIBA MAIS:
No Link abaixo você confere na íntegra a palestra em que o deputado lança não apenas ataques racistas, mas misóginos, homofóbicos...: