sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

MARÍLIA ARRAES COMENTA ESPECULAÇÕES ACERCA DE SUA PRÉ-CANDIDATURA

Imagens: acervo. 

Plenária Regional em Petrolândia

Ontem (15) Lula recebeu, em São Paulo, Renata e João Campos, viúva e filho do ex-governador Eduardo Campos, e também o governador Paulo Câmara. Oficialmente a visita foi em retribuição à visita que Lula fez à família Campos quando sua Caravana passou pelo Recife.

Plenária Regional em apoio à candidatura de 

Marília Arraes. Serra Talhada

As discussões giraram em torno do cenário político brasileiro e a necessidade de uma ampla aliança progressista (PT, PSOL, PDT, PCdoB, PSB, e alguns setores do PMDB) para a superação da atual crise política pós-golpe.
O aceno gerou as mais variadas especulações da grande mídia quanto à pré-candidatura do Partido dos Trabalhadores ao governo do estado em Pernambuco, na pré-candidatura de Marília Arraes, estar comprometida.
Marília Arraes, em áudio divulgado amplamente nos grupos que apoiam seu nome, destaca que não há com o que se preocupar:

“É muito importante a gente ressaltar que o presidente Lula é um estadista e está trabalhando para devolver o Brasil ao povo para que o povo volte a ser prioridade no governo da república brasileira (...) e aqui em Pernambuco nós estamos firmes. Aqui o PT de Pernambuco não vai ser tábua de salvação pra governo ruim. A candidatura própria segue firme respeitando as instâncias partidárias e estamos a luta para disputar e vencer as eleições.” Afirmou a vereadora.

PSB E O GOLPE

A executiva nacional do Partido Socialista Brasileiro se posicionou a favor do impeachment da presidenta Dilma Rousseff, responsável pela atual crise política e institucional no país, mas preferiu não determinar fechamento de questão deixando livre às consciências dos parlamentares tomar a decisão o que dividiu o partido quanto ao golpe. No senado três foram a favor do impedimento e quatro contra, na câmara o número é bem superior: vinte e nove a favor contra apenas três votos a favor da permanência da presidenta. Em estados como Paraíba, Bahia, Sergipe, Acre o partido defendeu até o fim a decisão dos 54 milhões de eleitores que definiram pela reeleição de Dilma Rousseff.
O PSB em Pernambuco, no entanto, foi determinante para a continuação do golpe que mergulhou milhares de brasileiros e brasileiras para uma crise que parece não ter fim: Fernando Bezerra Coelho, Fernando Coelho Filho, Danilo Cabral, Gonzaga Patriota, João Fernando Coutinho, Marinaldo Rosendo e Tadeu Alencar, todos com aval de Paulo Câmara, foram decisivos para a fratura em nossa jovem democracia.

POSICIONAMENTO OFICIAL DO PT EM PERNAMBUCO

Bruno Ribeiro, presidente estadual do PT, reafirma sempre acerca das resoluções definidas no 6°Congresso Estadual do Partido, acontecido no Recife entre os dias 19 e 20 de Maio, pela candidatura própria do partido no estado.

Tal compromisso foi reafirmado pelas plenárias regionais acontecidas em Serra Talhada (27 de Janeiro) e Petrolândia (28) com coleta de assinaturas de filiados em defesa da pré-candidatura de Marília Arraes ao governo do estado e continua em atividades e encontros de base.