sexta-feira, 4 de maio de 2018

LEITORA QUESTIONA RESULTADO DE PROCESSO SELETIVO EM PETROLÂNDIA



Quando anunciado pela prefeitura o processo seletivo simplificado para contratação de Assistentes Sociais para os Programas da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Cidadania e Juventude (SEDES), no dia 1 de Fevereiro, aconteceram diversos questionamentos acerca da divulgação: via fixação em mural da prefeitura e site institucional houve prejuízo à população rural e periférica de ser informada e concorrer.
As inscrições aconteceram entre os dias 5 e 17 de fevereiro e abriam vagas para contrato temporário (de até 12 meses) para profissionais de nível superior em Serviço Social, para lotação na Secretaria de Desenvolvimento Social, Cidadania e Juventude, por meio do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS-Petrolândia), Programa Nacional de Promoção do Acesso ao Mundo do Trabalho, Bolsa Família, Ações Estratégicas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) e Casa de Acolhimento. O processo contemplou ainda a formação de Cadastro de Reserva.
Passada a primeira polêmica, segue acerca do resultado divulgado no dia 1 de Maio. Nossa redação foi procurada pela leitora Alice Pereira que questiona o resultado da seleção. O texto recebido é reproduzido na íntegra a seguir:

“Olá, boa noite! Gostaria de denunciar e principalmente peço esclarecimentos sobre o que está acontecendo na secretaria de desenvolvimento e serviço social. Fiz a seleção para o cargo de assistente social, cargo esse que só tinha 1 vaga, que foi preenchida por (...) Josilda Marques de Souza, como eu já apurei, Josilda Marques de Souza abandonou o cargo... o correto seria a pessoa que ficou em segundo lugar preencher a vaga, mas não foi o que aconteceu. A assistente social que preencheu a vaga, foi Daiane Chaves Bezerra de Moraes, não sei como e nem o porquê, já que a mesma fez a seleção para trabalhar no Acessuas Trabalho que inclusive o contrato da mesma, já tinha sido encerrado. Eu, como cidadã, peço as vocês que apurem os fatos. Eu quero uma entrevista com a Sra. Marília Cantareli, que é a responsável pela secretaria, para ela poder esclarecer pra mim e pra outros candidatos como isso foi possível. Espero que esse caso seja resolvido e que isso não passe impune assim como as falcatruas que acontecem na cidade de Petrolândia. Espero uma resposta e um esclarecimento. Caso eu não consiga, vou procurar os meus direitos de cidadã na justiça. Obrigada!”

O Blog está aberto para pronunciamento de todas as partes citadas.