quinta-feira, 4 de outubro de 2018

NEM TODO ELEITOR DE BOLSONARO É FASCISTA...

Montagem: Opera Mundi


...Mas todo fascista escolheu Bolsonaro. O que é o fascismo? Quais suas características e em que se assemelham ao perfil da candidatura que pode sepultar de vez a jovem democracia brasileira?
O Blog Gota D’Água dedica sua milésima publicação (para ódio de muitos) para explicar. Artigo de opinião por Daniel Filho

UM POUCO DE HISTÓRIA

Entre as décadas de 1920 e 1940, surgiu e desenvolveu-se, em alguns países da Europa, o fascismo. Sistema político surgido em meio a um conturbado cenário político, econômico e social deixado pela Primeira Guerra Mundial, principalmente na Itália, representado pelo líder Benito Mussolini, e Alemanha, onde ganhou o nome de nazismo e foi liderado por Adolf Hitler.
Benito Mussolini resgatou este símbolo ao fundar o Partido Nacional Fascista em 1922. O símbolo deste partido era o feixe de lenha (origem da palavra fasci = feixe), tendo como pano de fundo as cores da bandeira italiana (entenderam a primeira “coincidência”?).

CARACTERÍSTICAS E SEMELHANÇAS ENTRE O FASCISMO EUROPEU E BRASILEIRO

Plínio Salgado, criador do primeiro movimento
fascista no Brasil. Imagem: Superinteressante

Totalitarismo, ultranacionalismo, militarismo, culto à força, censura, propaganda (difamatória aos opositores e de onipotência a seu regime), ataque a minorias (homossexuais, negros, indígenas...) e antissocialismo. São as principais marcas do fascismo italiano e alemão que tão bem se encaixam com a persona do “mito”.
Engana-se quem pensa que essa é a primeira manifestação brasileira do fascismo. Em 1932, com um documento conhecido como o Manifesto de Outubro, a Ação Integralista Brasileira (AIB) foi fundada por Plínio SalgadoMiguel Reale e Gustavo Barroso. Com um discurso que exaltava o nacionalismo, atacava o comunismo, defendia a necessidade de um partido único nacional em muito se assemelhando ao atual movimento pró-Bolsonaro.

Todas as frases foram proferidas por ele e podem
ser facilmente encontradas com uma rápida pesquisa

Inutilmente seus seguidores tentam apagar ou tirar de contexto as declarações de seu candidato: saudação a torturador e defesa de tortura como prática; afirmou que não pagaria o mesmo salário às mulheres, que “menino que nasce com ‘jeitinho’ gay deveria apanhar para virar homem”, que quilombola não servia nem pra procriar e se pesa em arroba, entre outras barbaridades; defende posse e porte de armas; estimula e propaga as chamadas “Fake News” (falsas notícias, como o “kit gay”); discurso nacionalista com prática inversa, sempre em defesa da entrega das riquezas naturais aos Estados Unidos e censura são alguns dos muitos pontos em que as histórias de Mussolini, Hitler, Plínio e Bolsonaro se encontram. 

"Todo fascismo tem ao menos três características fundamentais. Primeiro, ele é um culto explícito da ordem baseada na violência de Estado e em práticas autoritárias de governo. Segundo, ele permite a circulação desimpedida do desprezo social por grupos vulneráveis e fragilizados. O ocupante desses grupos pode variar de acordo com situações históricas específicas. Já foram os judeus, mas podem também ser os homossexuais, os árabes, os índios, entre tantos outros. Por fim, ele procura constituir coesão social através de um uso paranoico do nacionalismo, da defesa da fronteira, do território e da identidade a eixo fundamental do embate político". Explica o filósofo e professor da USP Vladimir Safatle.

EM PETROLÂNDIA

Candidatos do PSL quebram placa em homenagem
à vereadora Marielle Franco, brutalmente assassinada

O perfil do eleitorado no município se divide entre os que votaram em Aécio em 2014 (geralmente ricos empresários, emergentes ou pobres manipulados a crer que um dia, se forem muito esforçados, serão tão ricos quanto seus patrões) e os que vão votar pela primeira vez motivados pela “modinha”.
Eis porque afirmo que nem todos são fascistas, uma parte é pega pelo discurso fácil da imagem de “um pai que vai cuidar deles e dar jeito na casa”. São bombardeados todos os dias com notícias falsas e montagens grotescas seguidos de um pseudocristianismo que prega uma SODOMA (que só existe no preconceito deles) e que somente eles irão conseguir “salvar a pátria”. Esse apelo hipnotiza os mais incautos que, logicamente, não querem ficar “do lado do mal”.

Em discurso incitando à "metralhar" os petistas

Há a outra parte que sempre carregou em sua persona o desprezo pela democracia, pelos pobres, negros, mulheres, homossexuais. Sem vergonhas mostram as marcas do fascismo em suas atitudes, tais como a violência, falso moralismo, vigilância e censura.

Em grupo de organização da carreata
do seu candidato a incitação à violência

As mídias locais (blogs e redes sociais) que se posicionam contrárias ou mesmo neutras ao que pensam são atacadas constantemente. Professoras e professores também passaram a serem alvos, caso não demonstrem apreço ao fascismo. Alguns com anos de história e carreira reconhecidas nacionalmente através de prêmios e publicações, passaram a ser alvos de vigilância em suas aulas (sempre com um celular prestes a filmar qualquer coisa que identifiquem como “doutrinação marxista”), boicote às aulas, ataques de baixo calão em redes sociais, enfrentamento agressivo em sala, além de pichações no patrimônio público com dizeres: “Mito”, “Bolsonaro 2018”, são alguns dos exemplos do que a “modinha” gerou.
Petrolândia sempre foi pacífica e, creio, continuará a ser. Mas o resultado do “terceiro turno” (sentimentos e atitudes pós eleição) além de não ser facilmente previsível, necessitará de um olhar atento das autoridades responsáveis para não vermos a barbárie substituir a calmaria.
Aos principais nomes políticos no município que fazem uso do nome de Lula e do legado do PT para pedir votos aos seus candidatos golpistas, mas que se omitem (ou mesmo quando não financiam as caras atividades de militância do grupo na cidade) perante a única candidatura que oferece riscos à nossa fragilizada democracia precisam saber que deverão arcar com as consequências de suas tendenciosas “omissões”.
Dia 7 de Outubro há treze opções de votos, por que escolher a mais desumana?  

Fontes: https://www.suapesquisa.com/historia/fascismo.htmhttps://super.abril.com.br/historia/o-fascismo-no-brasil/ MATÉRIA RELACIONADA http://www.bloggotadagua.com.br/2017/03/jair-bolsonaro-por-jair-bolsonaro.html 

Método como agem: na ausência de
propostas compartilham mentiras


Seu "símbolo" é reproduzido por crianças





Um comentário:

  1. Uma ótima comparação histórica, faz muito sentido.

    ResponderExcluir