quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

“SER PADRE NÃO É SÓ REZAR MISSA, MAS ESTAR AO LADO DOS POBRES!” COLETIVA DE IMPRENSA SOBRE O FORUM DAS ÁGUAS

Imagens: Daniel Filho

O Blog Gota D’Água junto ao Petrolândia Notícias participaram há pouco da coletiva de imprensa sobre o fórum social das águas que acontece amanhã (15).
Com a presença do padre Luciano, secretário Rogério Viana, representando a prefeita Janielma, e representações sindicais e sociais, foram levantados questionamentos acerca da problemática e da organização do ato.

COMO SURGIU A IDEIA DO FÓRUM

“Surgiu na orla conversando com amigos padres... Discutíamos sobre a importância da igreja reviver suas ações junto ao povo e a importância de participar das discussões acerca do risco que corre o nosso rio São Francisco...” Declarou Padre Luciano, articulador, junto aos movimentos sociais, do fórum. “Ser padre não é só rezar missa, mas estar ao lado dos pobres”. Completou.
Questionamos sobre as possíveis dificuldades em se construir uma atividade ampla e unificada num momento político tão delicado em que o país está claramente polarizado.
“Primo pelo respeito e da não vaidade e, por isso, tenho abertura em todas as esferas (...) Tenho minhas convicções ideológicas e políticas, mas não misturo com o ato, todos os partidos políticos foram convidados(...) Houve um contato com o papa Francisco que nos respondeu sobre esse ser um ato político com P maiúsculo, pois não defende um único partido, mas o rio São Francisco que representa a soberania do país. Por isso temos uma responsabilidade muito grande com esse fórum.”

QUESTIONAMENTOS À PREFEITURA SOBRE A PARTICIPAÇÃO NO FÓRUM

“Nossa participação é institucional. Ficamos felizes quando soubemos da escolha de nosso município para receber o fórum e, desde então, estamos buscando dar as condições logísticas.” Declarou Rogério Viana.
Questionado sobre o posicionamento da prefeitura em relação à preservação do rio o secretário destaca a preocupação da gestão por compreender que o potencial econômico do município depende diretamente da preservação do rio. Questionamos ainda sobre o abastecimento de água: as constantes faltas d’água nas torneiras seriam um racionamento ou de fato problemas técnicos?
“São de fato problemas técnicos. Muitos dos equipamentos da Compesa estão sucateados o que exigiu uma intervenção da gestora pedindo estruturação tanto para atender essa área quanto a do Bairro Nova Esperança que, todos sabem, passa por uma obra de distribuição de água que deverá estar pronta em breve.” Complementa.

ENCAMINHAMENTOS DO FÓRUM

O fórum não se resumirá ao ato:
“A atividade culminará na elaboração e aprovação de uma carta ao presidente Michel Temer de posicionamento contrário à privatização. Fará também lançamento do FAMA (Fórum Alternativo Mundial das Águas).” Destacou padre Luciano.

PROGRAMAÇÃO

O Fórum Social em Defesa das Águas e do Rio São Francisco contra a privatização da Chesf, junto à segunda passagem da caravana popular em defesa da democracia, terá concentração a partir das 08h00min na orla fluvial de Petrolândia onde os participantes irão receber dos pescadores a imagem do padroeiro, da cidade e do rio, São Francisco de Assis. Seguirá em caminhada para a Casa de Shows Velho Chico onde acontecerá a formação da mesa de análises e discussões que contará com a participação dos movimentos sociais e políticos convidados.
As atividades de debate irão acontecer durante todo o dia concluindo com noite cultural de confraternização.
Divulgue. Participe.








quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

FORUM SOCIAL EM DEFESA DO VELHO CHICO – CARTA DOS BISPOS


Próxima sexta-feira (15) acontece em Petrolândia o Fórum Social em Defesa das Águas e do Rio São Francisco contra a privatização da Chesf, junto à segunda passagem da caravana popular em defesa da democracia, ato convocado pela diocese de Floresta junto a instituições, sindicatos e movimentos sociais organizados. Com concentração a partir das 08h00min na orla fluvial seguindo em caminhada à Casa de Shows Velho Chico.
Amanhã (14), a partir das 17h00min, na prefeitura, acontecerá uma coletiva de imprensa com padre Luciano e a prefeita Janielma explicando sobre o ato e atividades realizadas.
O Blog Gota D’Água reproduz documento que expõe o “processo de morte em que este Rio se encontra e das consequências que isto representa para a população que dele depende”. Assinam os Bispos da Bacia do Rio São Francisco. Leia, a seguir, na íntegra:

CARTA DOS BISPOS DO VELHO CHICO

CARTA DA LAPA

Primeiro Encontro dos bispos da Bacia do Rio São Francisco

À luz do Evangelho, em comunhão com o Papa Francisco e inspirados pela carta encíclica “Laudato Sí”, nós, bispos da bacia do Rio São Francisco, representando onze das dezesseis dioceses, diante do processo de morte em que este Rio se encontra e das consequências que isto representa para a população que dele depende, assumimos de forma colegiada a defesa do Velho Chico, de seus afluentes e do povo que habita sua bacia. Como pastores a serviço do rebanho que nos foi confiado, constatamos, com profunda dor:

(a) o sumiço de inúmeras nascentes de pequenos subafluentes e, em consequência, o enfraquecimento dos afluentes que alimentam o São Francisco;

(b) o aumento da demanda da água para a irrigação, indústria, consumo humano e outros usos econômicos, sem levar em conta a capacidade real dos rios de ceder água;

(c) a destruição gradativa das matas ciliares expondo os rios ao assoreamento cada vez maior;

(d) a decadência visual dos rios e da biodiversidade;

(e) o aumento visível dos conflitos na disputa pela água em toda a região;

(f) empresas sempre fazem prevalecer seus interesses e o Estado acaba por ser legitimador de um modelo predatório de desenvolvimento.

Tudo isso vem gerando a destruição lenta e cruel da biodiversidade do Velho Chico e, consequentemente, sua morte gradativa. Diante dessa triste realidade, enquanto bispos da bacia do Rio São Francisco e pastores do rebanho que nos foi confiado, propomos:

1. Sermos uma “Igreja em Saída”: Ir ao encontro do povo e, como pastores, convocar os cristãos e as pessoas sensíveis à causa, para juntos assumirmos o grande desafio de salvar o rio da morte e garantir a vida humana, da fauna e da flora que dele dependem;

2. Sermos uma “Igreja Missionária”: Realizar visitas às nossas comunidades, missões, peregrinações, romarias e estabelecer um diálogo aberto com as pessoas para que entendam e assumam, à luz da fé, o cuidado com a “Casa Comum”, particularmente, a defesa do nosso Rio;

3. Sermos uma “Igreja Profética”: Elaborar subsídios educativos sobre meio-ambiente e o modo de preservá-lo. Utilizar os meios de comunicação, rádios, periódicos diocesanos para levar ao maior número de pessoas a boa nova da preservação da vida;

4. Sermos uma “Igreja Solidária”: Reforçar as iniciativas populares de recomposição florestal, recuperação de nascentes, revitalização de afluentes; incentivar a ética da responsabilidade socioambiental capaz de gerar um modo de vida sustentável de convivência com a caatinga, o cerrado e a mata atlântica; defender políticas públicas para implementação do saneamento básico, apoio à agricultura familiar, manutenção de áreas preservadas, a exemplo dos territórios das comunidades tradicionais de fundo e fecho de pasto, indígenas, quilombolas, ribeirinhos, pescadores, etc.

5. Finalmente, declaramos nossa posição em defesa do “Repouso Sabático” para os nossos biomas a fim de que possam se reconstituir. Particularmente, uma moratória para o Cerrado, por um período de dez anos. Durante esse período não seria permitido nenhum projeto que desmate mais ainda o Cerrado, a Caatinga e a Mata Atlântica, biomas que alimentam o Rio São Francisco e dele também se alimentam.

6. Nesse sentido chamamos as autoridades federais, os governadores, prefeitos, deputados, senadores, o Ministério Público, para que assumam sua responsabilidade constitucional na defesa do Velho Chico e do seu povo.
Que São Francisco, padroeiro da Ecologia e do Rio que traz o seu nome, nos inspire a cuidar da Criação. Que o Bom Jesus da Lapa, de cujo Santuário provém a água da torrente, abençoe e dê vida ao nosso Velho Chico e ao povo do qual ele é pai e mãe. Bom Jesus da Lapa, 1º Domingo do Advento de 2017.

Bispos Participantes

Dom José Moreira da Silva – Bispo de Januária (MG) Dom José Roberto Silva Carvalho – Bispo de Caetité (BA) Dom João Santos Cardoso – Bispo de Bom Jesus da Lapa (BA) Dom Josafá Menezes da Silva – Bispo de Barreiras (BA) Dom Luiz Flávio Cappio, OFM – Bispo de Barra (BA) Dom Tommaso Cascianelli, CP – Bispo de Irecê (BA) Dom Carlos Alberto Breis Pereira, OFM – Bispo de Juazeiro (BA) Monsenhor Malan Carvalho – Administrador Diocesano de Petrolina (PE) Dom Gabriele Marchesi – Bispo de Floresta (PE) Dom Guido Zendron – Bispo de Paulo Afonso (BA)



domingo, 10 de dezembro de 2017

COMO DEVERÁ SER O REAJUSTE DO PISO SALARIAL DOS PROFESSORES EM 2018


MEC altera valor do Custo Aluno do Fundeb e Piso do Magistério, em 2018, deverá ser de R$ 2.455,52.
No último dia 30 de novembro foi publicada, no Diário Oficial da União, a Portaria Interministerial nº 8, de 29 de novembro de 2017, ajustando o valor mínimo anual do FUNDEB, para o ano de 2017, previamente definido pela Portaria Interministerial nº 8, de 26/12/16.
O valor per capita do FUNDEB, em 2017, passou de R$ 2.875,03 para R$ 2.926,56, em razão de ajustes nas receitas do Fundo e nas matrículas do nível básico.
Tendo em vista que o Piso do Magistério tem seu reajuste anual vinculado ao crescimento percentual do custo aluno do FUNDEB, e, tendo o mesmo sido registrado em 6,8177%, entre 2016 e 2017, o valor a ser praticado em 2018 deverá ser de R$ 2.455,52.
O MEC convocou para o próximo dia 7 a reunião do Fórum Permanente para acompanhamento da atualização progressiva do valor do piso salarial nacional para os profissionais do magistério público da Educação Básica, momento em que deverá ser definido o valor do Piso para 2018.
A CNTE acompanhará a referida reunião e, posteriormente, voltará a informar a categoria sobre as deliberações do Fórum.

Heleno Araújo, Presidente da CNTE



SOBRE REFORMA DA PREVIDÊNCIA: OS NÚMEROS DA FARSA


Que falta faz, no Brasil, um jornalismo honesto e capaz de fazer as operações matemáticas essenciais. Na última sexta-feira, o governo Temer jogou sua última cartada para aprovar, do modo que for possível, uma contrarreforma da Previdência. Os ganhos esperados pelo sistema financeiro com a mudança são imensos, e as derrotas anteriores do governo foram graves. Por isso, a ofensiva recém-iniciada é bruta. São R$ 99,3 milhões, distribuídos em poucos dias, a jornais, TVs, revistas e sites que enfrentam graves dificuldades financeiras. O dinheiro está surtindo efeito. Quase todos os jornais estampam hoje matérias recheadas de infográficos, muito parecidos entre si. Baseados em supostos “estudos demográficos”, procuram “demonstrar” uma verdade oficial. A Previdência que temos hoje seria “insustentável”; a redução de direitos, “inevitável”; e será ainda mais “dolorosa” se tentarmos ignorá-la. Estas matérias têm a solidez de castelos de areia erguidos para deter um tsunami.
Há poucas semanas, saiu – e foi convenientemente escondido pelos jornais em páginas secundárias, o relatório final da CPI da Previdência. Formada num Congresso arqui-conservador e por isso insuspeita de favorecer a esquerda, ela atesta: “tecnicamente, é possível afirmar com convicção que inexiste deficit da Previdência Social ou da Seguridade Social” (…) “São absolutamente imprecisos, inconsistentes e alarmistas, os argumentos reunidos pelo governo federal sobre a contabilidade da Previdência Social”. O sistema de Seguridade é são. O problema são os desvios de recursos (para pagar juros), a divida gigantesca (R$ 450 bilhões) das grandes empresas, nunca cobrada, as isenções fiscais, o desmonte deliberado da fiscalização.
Mas não é preciso ir tão longe, para constatar a falsidade dos dados apresentados agora pelo governo, para justificar a nova versão da contrarreforma da Previdência, apresentada na última quarta-feira (22/10), pelo deputado Arthur Maia (PPS-BA). Vamos acompanhar os cálculos dos próprios economistas ligados ao mercado financeiro, reproduzidos pelo Valor Econômico dois dias depois. Ao elevar a idade mínima para aposentadoria de homens e mulheres, exigir 40 anos de contribuição para receber o benefício integral e reduzir drasticamente o valor pago aos servidores públicos, o governo “economizará” R$ 500 bilhões em dez anos, ou R$ 50 bilhões anuais. A propaganda oficial e os jornais financiados pelo governo repetem, incessantemente, a suposta justificativa: o ajuste é indispensável para salvar o sistema. Ou se faz isso agora, ou ele quebra.
Será? Dois estudos publicados nos últimos dias revelam o contrário. O mesmo governo que se diz comprometido em salvar a Previdência está trabalhando ativamente em destruir as bases de seu financiamento.
A primeira investigação foi feita por cinco pesquisadores do Departamento de Economia da Unicamp. Eles calcularam o impacto brutal representado, sobre as contas da Previdência, pela Contrarreforma Trabalhista. Além de reduzir drasticamente os direitos sociais, ela tem um efeito colateral. Estimula os empregadores a contratar trabalhadores como se fosse pessoas jurídicas (PJs).

Resultado: tanto o trabalhador quanto seu patrão deixam de contribuir para o INSS. Na ponta do lápis, os professores da Unicamp chegaram a números chocantes. Cada trabalhador pejotizado representa em média, por ano, menos R$ 3727,06 para a Previdência. Calcule, numa estatística conservadora. Se 10% dos 100 milhões de assalariados brasileiros tornarem-se Pjs, serão, por ano, menos R$ 37,27 bilhões, para o sistema. Escoam por aí quase 75% das economias que o governo diz fazer com a contrarreforma que deveria “salvar a Previdência”.
Examinemos uma outra medida. Ainda em agosto, há pouco mais de dois meses, o governo Temer deu, por decreto, um presente bilionário e bizarro às mega petroleiras estrangeiras. Quando elas comprarem no exterior os equipamentos que poderiam ser adquiridos aqui, terão isenção de impostos. Deixarão, até 2040, de pagar Imposto de Renda e também a Cofins – um tributo que mesmo as pequenas empresas brasileiras recolhem e que serve especificamente para financiar a Previdência. Do ponto de vista moral, é um escândalo. Primeiro, o governo Temer permitiu que as transnacionais explorassem o petróleo, substituindo a Petrobrás. Depois, desobrigou-as de comprar as sondas e os navios aqui. Por fim, deu-lhes privilégios fiscais. Mas qual o impacto econômico do presente? A Abimaq — Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos – calcula: são cerca de 15 bilhões de reais por ano.
Some agora os dois números do rombo produzido nas contas da Previdência. R$ 37,27 bilhões de prejuízo com a Contrarreforma Trabalhista, mais R$ 15 bilhões com a isenção de impostos às petroleiras. Ao todo, R$ 52,27 bilhões por ano. Com apenas duas decisões, duas canetadas, o governo despedirçou mais do que tudo o pretende arrecadar com a falsa “Reforma”.
A lógica das contas é clara. Não há esforço algum em salvar a Previdência. O governo tem pressa máxima na Contrarreforma por outro motivo. Quer criar um novo mercado para os bancos, ao sucatear o INSS e obrigar milhões de brasileiros a recorrer aos seguros privados. Veja os números, claríssimos: o processo já está em curso; em meio à crise mais profunda da história, os fundos de Previdência privada cresceram 19,9% no ano passado.

O drama da Previdência ilustra a encruzilhada brasileira. Com apenas 3% de apoio popular, e atolado em múltiplas denúncias de corrupção, o governo Temer mantém-se apenas por ser o pesadelo do país – mas o sonho do grande poder econômico. Seus atos estão levando a múltiplos impasses. Quando seu governo acabar, haverá duas alternativas. Ou nos submeteremos a sua herança maldita e permitiremos que o golpe, prolongue-se na prática; ou revogaremos as medidas do presidente e do Congresso ilegítimos, por meio de referendos populares.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

EM NOTA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE PETROLÂNDIA APRESENTA JUSTIFICATIVA


Recebemos nota oficial da secretaria de educação, através da secretária Alexandrina de Souza, nota que busca justificar as denúncias feitas pelo suplente de vereador, Sayd Sousa.
A nota faz referência às denúncias e críticas como sendo um meio baixo de autopromoção e provoca desafios de propostas “sérias e construtivas”.
Confira a nota abaixo:

Petrolândia, 07 de dezembro de 2017.

Nota de Esclarecimento

Em atenção aos vídeos gravados e comentários acerca de materiais escolares postados recentemente nas mídias sociais, esclarecemos o seguinte:
1) As carteiras escolares filmadas nas dependências do Estádio Municipal foram retiradas da Escola Municipal 06 de Março, a qual encontra-se em reforma. Salientamos que o referido material foi devidamente estocado em local protegido de sol e chuva. Entretanto, acredito que por um equívoco o responsável pelo setor transferiu o material para um espaço inadequado. Porém, estamos tomando as devidas providências; as carteiras filmadas saindo do depósito foram encaminhadas para conserto.
2) Com relação as  canetas salientamos que as mesmas apresentaram problemas ainda no prazo de validade o que impediu a distribuição.
3) Quanto aos fardamentos, contamos com um quantitativo de sobras dos anos anteriores e estamos estudando a melhor forma de aproveitamento. Encontramos como principais dificuldades o tamanho, que em sua maioria é P, e o quantitativo, insuficiente para atender a demanda. Sendo este, o maior dos empecilhos. Para alguns essa situação pode não representar um problema, mas, como explicar para uma criança que o seu colega de sala recebeu o fardamento e ela não?
Informamos ainda que desde o mês de novembro estamos conferindo junto ao Almoxarifado todo o estoque disponível, objetivando iniciarmos o ano letivo de 2018 com números atualizados e assim mantermos um melhor controle de armazenamento e distribuição deste material.
Apesar de contarmos com número reduzido de servidores estamos trabalhando diuturnamente para os avanços necessários a fim de garantirmos uma educação cada vez melhor. Almejamos e esperamos (do verbo esperançar) que com responsabilidade a sociedade seja mais proativa através dos conselhos, sindicatos e participações individuais.
Mais do que pessoas que buscam um palco para a autopromoção, a educação precisa de cidadãos que possam ser exemplo na sociedade e que ajudem mostrando de maneira ética e respeitosa, eventuais equívocos, sobretudo apresentando e discutindo propostas sérias e construtivas.
Ratificando, queremos ainda dizer, que embora haja falhas em nossa trajetória, temos buscado realizar um trabalho digno e com muita seriedade. Muitas ações foram realizadas no decorrer deste ano letivo, mas, para o momento destacamos a II Mostra de Experiências Exitosas da Rede Municipal de Ensino. Evento que estaremos promovendo durante toda a manhã do dia 08/12/2017, no prédio da Escola Municipal 1º de Julho, a partir das 8h.
Por fim, a Gestão Municipal, a Secretaria de Educação e Escolas, estarão de portas abertas para todos e todas que queiram verdadeiramente trazer suas contribuições.

Atenciosamente,

Alexandrina de Souza Neta

Secretária Municipal de Educação

MATÉRIA RELACIONADA

Para entender melhor leia a motivação da nota, leia no link abaixo:

QUAL O RUMO DA EDUCAÇÃO NO MUNICÍPIO DE PETROLÂNDIA?

Imagem: Daniel Filho (2014)Mobília escolar, muitas em bom estado, abandonadas no aterro sanitário

Poucos dias após denunciar o abandono de dezenas de mobílias escolares novas o suplente a vereador, Sayd Sousa, mais uma vez denuncia o abandono de materiais escolares encontrados em depósito alugado da Prefeitura de Petrolândia, localizado na Av. Djalma Wanderley, nas proximidades da BR-316.
Entre os materiais escolares encontrados e apresentados em vídeo, enviados ao nosso Blog, estão estojos de lápis de colorir, canetas esferográficas, caixas com tubos de cola (vencidos), fardamentos escolares, mochilas e mais mobília escolar.
Sayd afirma que o material será incinerado ou descartado no aterro sanitário da cidade em breve.
O Blog Gota D’Água buscou a secretária de educação Alexandrina para que apresentasse um posicionamento sobre as graves denúncias. Sendo tão comum haver profissionais de educação, pais e estudantes questionarem a falta ou escassez desse tipo de material para o desenvolvimento do trabalho pedagógico das crianças, não faltam perguntas sobre as duas denúncias: Há quanto tempo esse material está lá? Por que não foram distribuídos? Quando e de que forma serão distribuídos? Como os vereadores se posicionarão acerca do tema?
A secretária Alexandrina pediu à redação calma e que, em breve, lançará nota com as explicações necessárias à população.
Pais, professores, gestores, estudantes e o Blog Gota D’Água aguardam as respostas e, assim que forem esclarecidas, publicaremos na íntegra.
Enquanto isso vale a reflexão:
Todo dinheiro voltado para a educação é investimento?
A resposta tentamos apresentar no texto que pode ser lido no link a seguir:

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

COMPESA E PREFEITURA DE PETROLÂNDIA SE REÚNEM PARA TRATAR DOS SUCESSIVOS PROBLEMAS NO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA CIDADE

       Mediante a sucessão de problemas no abastecimento de água para consumo humano ocorridos na última quinzena a Prefeita Janielma Souza esteve na tarde dessa segunda-feira (04) na sede da COMPESA em Recife reunida com o Diretor Regional do Interior Marconi de Azevedo Soares e o Gerente da Unidade de Negócios Luciano André de Freitas. 



       Na oportunidade a prefeita relatou os transtornos sofridos pela população nos últimos dias e solicitou estudos mais aprofundados da situação, bem como, ações preventivas. Após ouvir os esclarecimentos e as providências a serem adotadas Janielma colocou o Município a disposição para as parcerias necessárias ao bom funcionamento do sistema de abastecimento de água. 


       A Prefeita ainda tratou da celeridade da obra hídrica em andamento no Bairro Nova Esperança e de estudos a serem realizados visando a atuação da Compesa em comunidades rurais do Município.