quarta-feira, 11 de setembro de 2019

COM APOIO DE CARLOS VERAS E DORIEL, ADRIANO PAJEÚ É LANÇADO PRÉ-CANDIDATO EM ITACURUBA

Imagem: reprodução


O deputado estadual Doriel Barros e o deputado Federal Carlos Veras, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT), anunciaram, no último dia 9, no Recife, apoio à pré-candidatura de Adriano João da Silva, conhecido como Adriano Pajeú, a prefeito de Itacuruba, município do Sertão Pernambucano. Candidatura apoiada pelo Movimento Sindical local, do vereador Kildares Nunes (PT) e do PT de Itacuruba.
Na gestão municipal passada, Adriano Pajeú foi secretário de Educação, e fez o município alcançar importantes premiações e reconhecimentos, como a melhor educação pública do Sertão de Itaparica e a 7ª na esfera estadual, segundo o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal.
“Nossa cidade vem passando por um processo de desgaste político. O nosso objetivo é ter um município com uma melhor distribuição de renda, com a população acessando o mercado de trabalho e tendo a garantia de uma saúde, assistência social e educação de qualidade, além de reconquistar a autonomia local”, pontua o pré-candidato.
O deputado Carlos Veras destaca que Itacuruba merece ter uma gestão do PT que faça com município o que o presidente Lula fez com o Brasil: “um lugar melhor para se viver, diminuindo as desigualdades e dando assistência a quem mais precisa”.
Para o deputado Doriel Barros, é fundamental que Itacuruba tenha em sua gestão uma pessoa da terra. “Só quem convive com a realidade do município tem condições de identificar suas potencialidades e os problemas existentes, podendo, junto com sua gente, debater e buscar soluções”, afirma.

SUA ORIGEM

Nascido em Itacuruba em 1987, Adriano João da Silva, aos 13 anos, começou a seguir o ofício do pai, trabalhando na pesca para ajudar a família. Com o passar do tempo, iniciou os estudos e formou-se em Letras, atuando em importantes instituições educacionais da região e ocupou o posto de secretário de Educação de sua cidade de 2013 a 2016. Atualmente, é professor da rede pública municipal de Itacuruba e Orocó.

Fonte: Blog do Nill Júnior


MORO AUTORIZOU PERSEGUIÇÃO À FILHA DE INVESTIGADO NA LAVA JATO PARA FORÇA-LO A SE ENTREGAR

Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress


Mais vazamentos da chamada “vaza jato” publicados pelo site “The Intercept Brasil” mostram que o Ministério Público Federal pediu duas vezes ao então juiz Sergio Moro uma operação contra a filha de um alvo da Lava Jato que vive em Portugal como forma de forçá-lo a se entregar. Apesar de ser titular de contas no exterior que receberam propinas, ela não era suspeita de planejar e executar crimes.
O plano, revelado em mensagens de Telegram trocadas entre procuradores e entregues ao Intercept por uma fonte anônima, era pressionar o empresário luso-brasileiro Raul Schmidt. O MPF apelou a Moro mirando na filha do investigado: queria que o passaporte dela fosse cassado e que ela fosse proibida de sair do Brasil.
Enquanto argumentavam no processo que a filha de Schmidt não poderia sair do país para não prejudicar a investigação sobre os crimes que teria cometido, no Telegram os procuradores admitiam que a finalidade das medidas era atacar o empresário. O procurador Diogo Castor de Mattos confessou na conversa com os colegas: "na minha perspectiva, ela não poder sair do país é um elemento de pressão em cima dele".
A cada vazamento fica cada vez mais explícito que o que era pra ser uma operação contra a corrupção virou um aparelho de perseguição política criminoso.
Para ler a matéria completa, clique:


terça-feira, 10 de setembro de 2019

PAI CRIA CAMPANHA PARA CUSTEAR VIAGEM DE ESTUDOS PARA O FILHO

Imagens: Arquivo


O jovem assentado, Rejian Martins da Silva, conquistou o direito de cursar medicina na Venezuela. A iniciativa é uma parceria do Movimentos dos Sem Terra (MST), movimentos sociais e governo venezuelano, mas o jovem precisa de auxílio para custear a viagem que já acontecerá no próximo dia 18 de Setembro.
“Serão 50 jovens, todos filhos de assentados da reforma agraria, filhos de agricultores, beneficiados. Meu filho precisa de ajuda para os primeiros meses. Cerca de R$3.000,00 (três mil reais). Agradecemos todo apoio possível.” Declarou o pai, Reginaldo Martins, criador da campanha.
Qualquer pessoa pode doar qualquer valor para a seguinte conta corrente:



Reginaldo Martins da Silva
Ag: 5815-7
C/c: 18.887-5
B.B

“JORGE VIANA (PSL) É ELEITO EM PETROLÂNDIA, MAS MORA EM CARUARU...VERGONHA!” RESPONDE SAID SOUSA ÀS CRÍTICAS QUE RECEBEU DO PARLAMENTAR




No dia 5 de Setembro o Blog Gota D’Água publicou entrevista do vereador Jorge Viana (PSL) em que se defende das acusações feitas pelo suplente de vereador, Said Sousa, acerca da suposta “farra das diárias” na câmara legislativa.

Imagem:Arquivo

O vereador se defendeu, mas também atacou:
“Said é uma pessoa que todo mundo de Petrolândia conhece. Uma pessoa desqualificada, que gosta de aparecer, que já foi procurado pela justiça e a mim não atinge em nada.” Declarou na ocasião.
Said usou seu direito de resposta através da rede social Whatsapp. O resultado da conversa você confere a partir de agora:

SOBRE SER CHAMADO DE DESQUALIFICADO

“Eu pensei que o vereador fosse usar a rede social pra tudo, menos para me atacar, pra tratar da minha vida, mas quem vive a vida pública tem que estar acostumado a isso, então digo a ele que seja bem-vindo à vida pública e se não aguentar: CORRA!
Mas eu achei, Daniel, que ele iria usar as redes sociais para defender esses quase R$22.000,00 (vinte e dois mil reais) de diárias, foram muitas viagens e pensei que ele fosse justificar para onde ele viajou tanto... Entendo que é um direito, mas é um direito imoral. Ele recebeu desde Janeiro todo esse dinheiro, e a população? Recebeu o quê? O que ele trouxe pra população? Eu faço um desafio ao vereador. Ele tem doze anos de mandato, mas não vou muito longe, quero saber dos últimos três anos um único projeto dele que beneficie a população.

Imagem:Arquivo

Fui tratado como desqualificado, mas queria que ele me dissesse o que é ser desqualificado. Ser uma pessoa que fiscaliza é ser desqualificado? Eu não posso me calar diante dos absurdos que vêm acontecendo...
Até me pediram para tirar esse vídeo da rede social, mas não vou voltar atrás e aceitar essa intimidação não. Assumo minhas atitudes com força e transparência. Podem me acusar de tudo, menos de corrupto. Posso não acabar com o sistema, mas o sistema não vai me corromper.”

CASO FOSSE VEREADOR, SAID ABRIRIA MÃO DAS DIÁRIAS?

Perguntado se receberia diárias caso fosse vereador, respondeu:
“Meu caro Daniel, diárias do jeito que estão sendo feitas, posso dizer que abro mão desde já, porque diária tem que ser paga quando se vai pra congresso, então se eu receber alguma diária para ir à Brasília atrás de alguma situação que eu saiba que vai de fato resolver algum problema da cidade, aí, com certeza, eu tenho que ter a diária pra me locomover, mas diária pra ficar levando ofício? Eu não quero uma, abro mão de todas elas.”

SAID ESTARIA PROTEGENDO DE CRÍTICAS ALGUM DOS VEREADORES?

Quando publicou em rede social o vídeo com a denúncia, Said citou apenas o nome de três e na descrição do vídeo contabilizou apenas dez vereadores (quando a câmara tem onze parlamentares), questionamos então se haveria algum motivo específico para não incluir todos na denúncia:
“Eu só citei três nomes porque eram os três primeiros colocados na lista, mas pode colocar que os onze recebem diárias abusivas, aqui é pau na moleira, critico todos.”

RECADO PARA JORGE VIANA

Perguntado se teria algo mais a dizer ao vereador do PSL Jorge Viana:
“O senhor, Jorge, diz que é vereador do povo e da cidade, mas precisa conhecer a própria cidade de perto. É vereador aqui (Petrolândia), mas hoje reside em Caruaru. Se aqui tivesse um presidente na câmara que realmente fiscalizasse, a gente teria aqui uma quebra de decoro e Jorge perderia o mandato. Ele é o primeiro ‘vereador estadual’ que eu já vi na vida da política do Brasil, pois é vereador eleito em Petrolândia, mas reside em Caruaru...isso é uma vergonha!”

Said Sousa foi candidato a vereador pelo Partido Progressista (PP) em 2016 e recebeu 337 votos. Ficou na suplência.

MATÉRIA RELACIONADA

Para ver ou rever a entrevista e o vídeo de denúncia, clique no link a seguir:





PELA PRIMEIRA VEZ O DIRETÓRIO DO PT DE FLORESTA SERÁ PRESIDIDO POR MULHER




No último domingo (8) aconteceu o Processo Eleitoral Direto (PED) do Partido dos Trabalhadores (PT). Nas eleições municipais, os filiados e filiadas elegeram presidentes municipais e zonais, diretórios municipais e zonais, delegações aos Congressos Estaduais e ao Congresso Nacional do PT – Lula Livre.
Em Floresta, sertão de Pernambuco, a professora Alcione Cavalcante venceu e irá presidir o diretório municipal a partir do dia 1 de Janeiro de 2020.
Ela falou com exclusividade ao Blog Gota D’Água:
“É com muita responsabilidade e seriedade que assumirei a presidência do Diretório Municipal do PT de Floresta. Fazendo valer a confiança dada a minha pessoa para fortalecer as lutas dos trabalhadores e trabalhadoras com o empenho de unirmos forças para dar segmento daquele que idealizou e criou esse partido, nosso ex-presidente Lula, com uma política de igualdade e mais justa para todos.
Tenho a clareza de que nosso partido PT precisa unir esforços, pois, para que possamos ser grandes temos que unir todos que têm o mesmo pensamento e briga pela mesma causa, seja na mesma cidade, junto às cidades vizinhas, no estado, região e país.
A minha participação como mulher em um partido de luta, tenho certeza que irá soar gritos de muitas outras para alcançar seus objetivos dentro daquilo que se deseja, pois irei somar forças nas horas precisas para que não desistam.
Entrar para a presidência do Partido dos Trabalhadores é estar com coragem para contribuir na liberdade de Lula e gritar que Lula foi vítima de um golpe para tirá-lo da disputa da presidência.
É se engajar nas causas do trabalhador e trabalhadora!
É estar presente!
É participar!

#VoltaPT   #LulaLivre”
Declarou

domingo, 8 de setembro de 2019

Clube do Livro Expressão Popular faz debate sobre obra clássica de Dostoiévsk.

O grupo de estudos literários "Clube do Livro Expressão Popular", próxima quinta-feira dia 12/09/2019, debate o a obrá clássica do escritor russo  Fiódor Dostoiévski. A obra abre um leque de temas para serem debatidos que vão das motivações por trás de uma crime até direitos humanos. O encontro será Às 19 hs na biblioteca Barão de Mauá e todos aqueles que apreciam uma boa leitura e discussões produtivas estão convidados.

https://www.youtube.com/watch?v=dNKosDUu57g

sábado, 7 de setembro de 2019

EM NOTA MST REPUDIA ORDEM DE DESPEJO AO CENTRO DE FORMAÇÃO PAULO FREIRE E IRÁ RECORRER NA JUSTIÇA

Imagem: PH Reinaux


O juiz federal Tiago Antunes de Aguiar, da 24ª Vara Federal, em Caruaru, determinou esta semana a reintegração de posse de área de 15 hectares dentro de um assentamento na zona rural de Caruaru (PE). A área em litígio está há 20 anos sob gestão de associação de assentados e sedia um dos mais reconhecidos centros de formação e capacitação de camponeses do estado. Quem pede reintegração de posse é o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), que não aceita a relação de confiança entre assentados e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).
A antiga Fazenda Normandia foi ocupada pelos trabalhadores rurais sem terra em 1º de maio de 1993, ao que se seguiu um processo de resistência, com cinco remoções e reocupações ao longo de quatro anos, até 1997. No ano seguinte, houve desapropriação para fins de reforma agrária e indenização ao antigo proprietário. Normandia tornou-se assentamento em 1998.
Além das 41 famílias que vivem no assentamento, uma área comunitária de 15 hectares foi cedida pelos assentados em benefício coletivo: ela deveria servir para capacitação, formação e estímulo à produção daqueles assentados. Na época, o processo foi feito em acordo com o Incra, segundo nota publicada no site do MST. É sobre esta área o pedido de reintegração de posse.
A seguir nota na íntegra:

“O Centro de Formação Paulo Freire é Patrimônio Popular!

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra agradece as entidades e organizações em nível nacional e internacional, os  partidos políticos, centrais sindicais, sindicatos, movimentos sociais, universidades, institutos de ensino, estudantes, professores e pesquisadores que demonstraram solidariedade, apoio e disposição em defender o  centro de formação Paulo Freire.
Esclarecemos que diferente do que afirma o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) tudo foi feito dentro da legalidade, em comum acordo com o INCRA, ressaltando que foram quatro anos de luta e resistência, o que tornou o Centro de Formação referência da conquista dos trabalhadores e trabalhadoras.
Durante esse processo de luta ocorreram muitas mobilizações, com destaque a dez companheiros e companheiras acampados que estiveram onze dias em greve de fome, o que culminou com a desapropriação do Assentamento Normandia. Nesse processo segundo instrução do INCRA  solicita que área coletiva que era a antiga casa grande da fazenda, casa sede, fosse transformada em uma área coletiva ficasse a serviço da formação e capacitação dos assentados, de Normandia e de todo estado de Pernambuco.
Fundando o Centro de Formação Paulo Freire em 1999, dentro da legalidade com apoio do INCRA, passamos a fazer a construção do Centro com apoio de outras organizações através de campanhas, parcerias com várias entidades. Nesses anos construímos os alojamentos, fizemos o auditório,  para termos hoje o espaço de formação constituído e disponível para os trabalhadores e trabalhadoras.
Jamais alcançaríamos a consolidação de uma estrutura com essa dimensão política, social, pedagógica, se não houvesse parcerias com o Governo do Estado que fez Academia da Cidade e a Quadra Esportiva, tivemos parcerias com a prefeitura de Caruaru, com as Universidades.  Nós não iríamos fazer tudo isto se estivesse ilegalmente, tudo foi construído dentro de uma legalidade, em comum acordo com as regras, estruturas e instruções interna do INCRA.
Hoje a reintegração de posse esta fundamentada em uma disputa ideológica com o atual governo federal. O discurso de legalidade ou ilegalidade é uma disputa política, utiliza-se do âmbito jurídico para camuflar o campo ideológico. A nossa disputa não pode ficar apenas no campo e no questionamento administrativo, para além disso a nossa disputa tem que ser no campo ideopolítico, porque agora é luta de classe, e na luta de classe temos que saber nos posicionar e da importância do nosso posicionamento na nossa história e na história das nossas organizações.
O Centro de Formação Paulo Freire sempre esteve voltado para educação popular, formação de professores, formação de coordenadores e em especial nesta tarefa fundamental da transição para agroecologia. Já foram realizadas 38 turmas do Curso Técnico de Práticas em Agroecologia (Pé no Chão), onde foram formados mais de 1.500 assentadas/os e acampadas/os em produção de alimentos saudáveis. 
Após o primeiro dia do pedido oficial de reintegração de posse foram realizadas várias reuniões, com o governo do estado, ministério publico, comissão de advogados que estão discutindo do ponto de vista técnico o que é possível fazer.
Diante disso, surge a seguinte questão: se a disputa é no campo político, a orientação de retirada dos equipamentos, moveis, computadores, para que no caso de haver o despejo não teríamos nada na estrutura estaríamos aceitando a destruição do nosso patrimônio. Não aceitaremos. A nossa decisão é resistir. Ou perdemos tudo ou ganhamos tudo, a disputa é maior do que o equipamento.  Para isso precisamos de toda sociedade, inclusive a nossa base social para ajudar a nos defender, solicitando a todos uma definição e uma postura política.
Atividades Prevista:
07/09  Grito dos Excluídos, em várias cidades do Brasil, aqui em Caruaru e no Recife, vamos politicamente informar as entidades, os movimentos e a população sobre a situação.
09/09 Daremos entrada com recurso no Ministério Público, como também no Tribunal de Justiça.  Com vista no cancelamento ou adiamento do processo.
09/09  Estaremos convocando uma coletiva de imprensa no Armazém do Campo em Recife, para informar aos jornalista, imprensa e blogs.
10/09 reunião com advogados envolvidos diretamente no processo e demais profissionais na área de direito.
11/09 Ainda no Armazém do Campo, reunião com os educadores, professores na área da educação em defesa do Centro de Formação Paulo Freire.
 12/09 Reunião com os profissionais do jornalismo, os jornalista, os estudantes para  discutir estratégia e uma ampla campanha de comunicação.
 13/09  Reunião com os deputados  estaduais, federais  na assembleia legislativa e representação da comissão dos direitos humanos da casa.
Do ponto de vista interno estamos construindo possibilidades de mobilização.  Será feita vigília em solidariedade no Centro de Formação Paulo Freire. A Comissão de Professores Indígenas de Pernambuco (COPIPE) fará um momento cultural em união dos povos indígenas em solidariedade ao Centro de Formação Paulo Freire. Bem como teremos atividades do movimento sindical e momento inter-religioso.
Companheirada, estejamos todas e todos atentos ao chamamento aos nossos próximos passos ao desenrolar a partir das  negociações e das decisões judiciais.

Não vai ter despejo! Vai ter luta!”