domingo, 25 de janeiro de 2015

CARA EU GANHO. COROA VOCÊ PERDE! por George Novaes

Foto: George Novaes

No ano passado, famílias organizadas da Associação Habitacional Catingueiras realizaram ocupação das casas do programa Minha Casa, Minha Vida, próximo a antiga Escola Agrícola (hoje Centro de Referência do IF) um dos maiores e mais precários bairros de Petrolândia. Essas famílias necessitavam de moradia: sofriam com o aluguel abusivo e moradias precárias. Se estavam lá era porque a população não tem acesso à moradia, direito constitucional (artigo sexto) que os governos insistem em não garantir. O terreno ocupado tinha cerca de 3 ou 4 dúzias de casas que estavam inacabadas e abandonadas, sem nenhuma serventia.

Foto: George Novaes


Foram retirados das casas que estavam morando com presença da Tropa de Choque da PM-PE, Conselho Tutelar e toda uma logística cedida pela prefeitura municipal, só esqueceram-se de dar destino adequado e humanitário para as famílias que foram jogadas em frente ao Ginásio Municipal de Esportes de Petrolândia PE sob sol e chuva com crianças, adultos, idosos e seus móveis.

Sob ameaças e riscos diversos quase se consumava a morte por exposição de crianças, mas a ocupação seguiu firme na tentativa uma melhor saída para aquela absurda situação que vivenciamos. Durante aquela campanha lembro-me de um cartaz com uma pergunta que hoje ainda é atual “FOI ESSA ASSISTÊNCIA LOURIVAL”? E dessa forma foram recebendo apoios de parlamentares, figuras públicas, artistas, professores, estudantes e apoiadores de toda a cidade. As famílias seguiram organizadas e mobilizadas. Após o batismo da ocupação de o “PESSOAL DO GINÁSIO” ou “DAS CASINHAS”, iniciou-se um processo de negociação que envolveu toda a sociedade. A pauta do movimento era clara: uma solução habitacional para as famílias sem-teto.
Assim as famílias seguiram resistindo pacificamente e dezenas de aliados prestando apoio político, físico e simbólico à ocupação!
Com alguns dias foi firmado um acordo entre Prefeitura, Secretarias municipais, igrejas e Associação Habitacional Catingueiras para a doação lotes em local sem as menores condições de moradia, num terreno indicado por Jadilson Ferraz (PROPRIETÁRIO) e que seria adquirido por Lourival Simões (PREFEITO). Neste acordo não vi motivos para se comemorar, mas foi aceito. Foi um grão de esperança numa cidade onde o poder público não apresenta estratégias para acabar com a falta de moradia e este povo é vítima da cruel lógica urbana das cidades sertanejas.

Foto: George Novaes

As famílias seguirão organizadas e em luta, pois sabiam que termos de compromisso sem pressão popular podem rapidamente ser ignorados. Não adiantou, e foram ignorados!
A elite é intransigente. Não aceita concessões, por menores que sejam. Qualquer pequeno incômodo é tratado como abalo sísmico por seus representantes no poder, na mídia e em seu habitat natural, o dinheiro.
Trata-se de mais uma demonstração da força dos poderosos!
A força da luta das famílias pobres de Petrolândia precisa vencer o ódio.

Foto: George Novaes


Foto: George Novaes


Foto: George Novaes


Foto: George Novaes


Foto: George Novaes


Foto: George Novaes


Nenhum comentário:

Postar um comentário